Detalhes do E-book

Título: Incompletitude nas notificações de gestantes com HIV e seus recém-nascidos, de 2000 a 2012 (v.1)
Informações
ISBN
978-65-86230-22-2
Autores(as)
Silvana Cavalcanti dos Santos, Aletheia Soares Sampaio, Ana Lucia Ribeiro de Vasconcelos
Sobre esta obra

Reduzir transmissão vertical (TV) do HIV continua sendo um desafio em

Pernambuco, apesar das medidas profiláticas estarem disponíveis. Este estudo

analisou as notificações de gestantes com HIV e seus recém-nascidos, de 2000 a

2012, a partir de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação

(Sinan), das 12 Gerências Regionais de Saúde (GERES) de Pernambuco, e

segundo variáveis consideradas relevantes para a profilaxia da TV. Constatou-se

uma taxa de TV do HIV de 12,3 %. E para avaliar o grau de incompletude, foi

utilizado os escores propostos por Romero e Cunha, verificando-se: (a) escore

“muito ruim”, na variável momento de diagnóstico da mãe, com incompletude

acima de 50 % na IV, VI e VII GERES; na variável tipo de parto, em oito GERES,

ocorrendo os maiores escores na IV (75%) e na VII GERES (67 %). (b) escore “ruim”

na variável uso do antirretroviral (ARV) na gestação, acima de 25 % na XII e I

GERES; uso de ARV no parto, com escores de 43 % na IV GERES e de 38 % na

VIII e IX GERES; e uso do ARV pelo recém-nascido, em nove GERES, com piora

no período após 2007. Este estudo aponta a necessidade urgente de fazer com que

os dados das fichas de notificação da mãe e seu recém-nascido possam ser

analisados conjuntamente, e de ações estratégicas envolvendo gestores e

profissionais da saúde para redução das taxas de TV.

Ficha Técnica
Ano Publicação
2020
Páginas
29